Total de visualizações de página

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Livros, livros, histórias e mais histórias



Buon diorno! Esse ano começa uma nova história na cultura de Ourinhos. Será o Ano da Leitura em Ourinhos, comemorado com diversas ações pela Secretaria Municipal de Cultura. Clarice Linspector é a homenageada este ano, quando completaria 90 anos. Quinta passada teve início o Ano da Leitura e foi inaugurado o Ponto de Cultura- projeto da Biblioteca Municipal Tristão de Athayde, aprovado pelo Ministério da Cultura e Governo do Estado, realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura. A Biblioteca teve seu espaço físico inteiramente revitalizado.

No evento, livros espalhados, pufs, almofadas convidavam à leitura, num ambiente acolhedor, claro, organizado.

Muitos títulos para todos os gostos, davam água na boca... No andar de cima foram criadas as instalações do Ponto de Cultura, com laboratório de áudio visual que abrigará oficinas de foto, vídeo, radiojornalismo... teatro. A criançada fez a encenação de um velório e a viuvinha chorou de verdade... descompassadamente.

A minha história continua por aqui... gravamos com a minha voz o slogan e as chamadas de rádio, o que me encheu de orgulho por disseminar a importância da literatura num meio de comunicação tão popular quanto o rádio. Novos livros chegaram e estão chegando à Casinha. Estou empenhada e feliz por poder disseminar esse hábito tão importante da leitura.

Foi com satisfação que aceitei o desafio de contar história para as crianças dos CRAS, como parte da programação do Ano da Leitura em Ourinhos. Tenho uma enorme responsabilidade e algumasquestões que vêm e vão, como a escolha dos temas. Contaria uma história didática? Com sentido moral, ético, com mensagem de paz, amor? Ou algum conto de fantasia, do mundo de as fadas, duendes, seres da floresta... um mundo tão lindo e colorido, que os tirem um pouco da realidade em que vivem?

Estou pensando em contar a história de algumas lendas folclóricas brasileiras, como a do Saci Pererê, do Curupira, da Iara, do Lobisomem... pode ser ao mesmo tempo divertido e didático... e eu estaria também reforçando a divulgação da nossa cultura popular para essa criançada que já não liga muito para as cantigas de roda, as brincadeiras de peão e todo o universo que cerca essa sabedoria popular.

Com toda essa inspiração sobrevoando a minha mente, fui atrás de alimentar uma curiosidade que estava me encasquetando: a etimologia da palavra CULTURA. Mas isso é tema de uma outra história, que não pára por aí...

Nenhum comentário: